7 Nomes

( Pamps )

 

Quando para o nada
Pensando uma palavra
Que traduz a emoção
De estar vazio e bem

No meio da tormenta
Onde a força é neutra
E não existe o medo

Para Alah
O louco é sagrado
Diz Shamael, veneno de Deus
Corpo sem sombra...

As paredes do meu quarto
Me espremem, me sufocam
Trituram o pensamento
Lembrança, frio mental
Me estragam de prazer
Quando da sua presença
E sua falta também

O ódio às vezes se funde ao amor
Diz Shamael, veneno de Deus
Os olhos brancos, fitando o infinito
Me perco no meu sonho

Mas sei que
Gnóstica a lembrança
De vida ancestral
No pátio do arcano
Algo a encontrar
Por trás dos sete nomes
O sonho às vezes se funde ao real
Sensação vaga de reencarnação
Emoção atemporal
Na'amah, Mawet, Ashmodai, 
Sum Ha, Shibbeta, Kardeyakos, Rhvah