O Rebanho

( Nasi / Ciro Pessoa / Nivas )

 

Um mundo de pessoas cada vez mais solitárias
Enquanto o tempo passa, passavam pela praça
Tanta gente, tanta cara, tanta gente solitária
E tanta circunstância por ali também passava
Gigolôs e marceneiros, lutadores de jiu-jitsu
Vendedores de muamba, tantos tipos esquisitos
Belas putas e ninfetas convivendo o mesmo nicho
Dividindo a esquina, as doenças e o lixo.

Carecas versus clubbers, tiras traficantes
Pintores undergrounds, sempre tudo como antes
Mas quem é o Buriyi??
Psicopata que era anão
Drag-queens e travestis, velho nú na São João
Um mundo de pessoas cada vez mais solitárias
Junkies e Djs, flanelinhas e outros párias
Juristas e viados que se dão no Trianon
Esportistas viviados e londrinos de baton.