Carne e Osso

( Humberto Effe/Luiz Gustavo/Caíca/Abilio Azumbuja )

 

Você é minha cadeia, enjaulado fico preso no seu corpo 
Você me caça em suas teias como seu escravo, 
Selvagem não me canso 
Pra que fugir, me entregar, me entregar é a única saída 
Como seu escravo me perdi na sua selva
Meu coração Meu coração 
Preso nessa cela abre as pernas da sua paixão 
Meu coração Meu coração 
Preso nessa cela abre as pernas da sua paixão
O mundo anda mal, mas sou eu que não presto 
Sou resto de um idéia, de uma outra rebeldia 
O povo dessa cela se balança de alegria 
Vejo a tristeza se encharcar de euforia
Bamba balança balança suas rédeas 
Querem o meu leite e o suor das minhas tetas 
Você me encontrou e fechou todas as portas 
Bebe do meu leite e do suor das minhas tetas
Meu coração Meu coração 
Preso nessa cela abre as pernas da sua paixão 
Meu coração Meu coração 
Preso nessa cela abre as pernas da sua paixão
Enquanto feras estão soltas, você me tortura a cada carência 
A cada violento arranhão 
Se pensa que isso é paixão, esqueça... 
Certas coisas não se sentem só no coração 
Será que alguém entende o meu amor? 
Você deve compreender o meu estranho jeito de ser demente 
Escravo do seu corpo 
Ou então achar esse o meu maior defeito...