Rua Paulo

( Edgard Scandurra )

 

É na rua Paulo que me sinto bem
Pois meus amigos estão la também
Já faz algum tempo que não sei como é que estão
Advogados, bêbados, dentistas eu faço canção

Da esquerda para direita não consigo encontrar
Um lugar para residir um lugar para descansar
Sou menino da rua Paulo de um bairro em Budapeste
Sou menino de São Paulo lá da Vila Mariana

Andando nas ruas o sol me faz suar
E o som de maquinas e homens se misturam no ar
Então as coisas fluem e me deixo levar
Até o bar mais próximo as mágoas encharcar

Eu já sou um homem e estou na selva
E se arrumar encrencas, só minhas costas pesarão
Eu já sou um homem, mas mereço umas palmadas
Ó amor te, peço, só não batas na minha cara

Dance, dance, dance

Eu já sou um homem e estou na selva
E se arrumar encrencas, só minhas costas pesarão
Eu já sou um homem, mas mereço umas palmadas
Ó amor te, peço, só não batas na minha cara
Sou menino da rua Paulo de um bairro em Budapeste
Sou menino de São Paulo lá da Vila Mariana
Ou, ou. Eu já sou um homem
Ou, ou. E estou na selva
Ou, ou. Só minhas costas pesarão.