Sapo-Boi

( Edgard Scandurra )

 

Era noite escura, caminhava com a lua
Não sei aonde foi, mas sei que o som era do sapo-boi
Do sapo-boi
Eu não sei aonde foi, mas sei que o som era do sapo-boi

Se eu fosse o prefeito aqui da capital
Pegava o sapo-boi e espalhava pela marginal
Marginal
A dengue não passa de um mês
Pois o mosquito é o prato da vez

O sapo-boi, o sapo-boi
Eu não sei aonde foi, mas sei que o som era do sapo-boi

E essa pode ser a minha colaboração
Vamos todos ter um sapo-boi de estimação
Um sapo-boi
Vamos todos ter um sapo-boi de estimação

E pra multiplicar o sapo-boi chamava a sapa-vaca
Deixava os dois pastando de Santana até o Jabaquara
E a dengue não vai ter mais vez
Porque o mosquito é o prato da vez

O sapo-boi, o sapo-boi
Eu não sei aonde foi, mas sei que o som era do sapo-boi