S.A.O. TIL P.A.U.L.O.

( Edgard Scandurra )

 

ruas cinzas
muita pressa
pés descalços
no asfalto
na garrafa, muita cana
no concreto, uma cama
na igreja, esperança
e no saco, muita cola
na esquina vendem bala
muito craque
pouca bola
s.a.o til p.a.u.l.o.
e na rua, um buraco
na calçada, meu cigarro
30 dias sem chover
mais poeira e poluição
e o menino que toma conta dos carros
em frente à loja de importados
nos jardins, a ilusão de 1% do país
s.a.o til p.a.u.l.o.
e o canto do pássaro ainda resiste
no galho sem folhas da árvore triste
e no meio disso tudo te procuro meu amor
e no meio disso tudo te procuro meu amor
s.a.o til...